Marcio Goldzweig

Marcio Goldzweig simboliza em seu trabalho um agregado de culturas. Um brasileiro de ascendência judaica, palestina, americana e do leste europeu, ele é atraído por formas que nos trazem de volta ao Oriente.
Especialmente através do uso de antigas técnicas de caligrafia que evocam, à primeira vista, os estilos hebraico, islâmico e japonês que ligam essas culturas ao mundo contemporâneo, fabricando suas próprias ferramentas de escrita - os Qalames Orientais ou as canetas de bambu que revelaram ao mundo a escrita.
O Qalam foi descrito como o símbolo da sabedoria e com ele o artista transforma elementos da caligrafia em arte abstrata -, ou como o artista define, “Abstrações Caligráficas”.
Tomando algum tipo de ascetismo de sua herança judaica, referências islâmicas, com fortes conexões com a arte japonesa do Shodō e uma vida no Brasil, Goldzweig cria imagens que transcendem as ideologias culturais.